O poder devastador da internet usada de forma errada.


06 Nov
06Nov


Você é satisfeito com sua profissão?

Você é satisfeito com seu salário, seu cargo, e suas tarefas diárias?

E em sua vida pessoal, o quanto você está satisfeito com ela?

Independentemente de suas respostas preciso que você preste atenção nessa pequena armadilha da vida moderna: cuidado com o falso padrão de vida que nos atazana diariamente, por todos os lados.

Basta acessar um pouco as redes sociais de alguns amigos e parentes e vemos dezenas de fotos lá em Paris, registros de festas constantes, xícaras de cappuccino maravilhosas com um alto retrato na espuma, indícios de prosperidade e felicidade plena por todos os lados...

Aí, obviamente você se pergunta “por que não eu?”

Por que esses likes da vida não são pra mim?

A partir daí, diariamente sendo metralhados por uma prosperidade exacerbada por todos os lados, vamos dormir pensando “naquilo”, passamos 2 horas no engarrafamento lamentando por “aquilo”, nos relacionamos com as pessoas pensando “naquilo”, atendemos os clientes pensando “naquilo”...

Cada vez mais sua vida fica ainda mais distante “daquilo”.

Chegamos em casa após um dia pouco próspero e estressante. Mal cumprimentamos a esposa e os filhos. Jantamos calado. Ficamos até tarde vendo filme com o cérebro ligado no 220 e pensando “naquilo”. 

Dormimos mal, acordamos atrasados, não tomamos café direito, o dia começa trash e logo, entre uma demanda e outra estamos ali na telinha conectados vendo novamente toda a prosperidade do mundo digital. 

Logo, voltamos pensar “naquilo”, ficando a cada dia mais e mais aprisionados por “aquilo”. A pergunta que vem na cabeça é “quando chegará minha vez?”.

A vida se torna frustrante, as coisas começam a dar errado, nada anda. Nada sai do lugar. E mais um ano novo vai chegar sem nem a dieta prometida para esse ano ter saído do papel.

Você está na armadilha da vida moderna. A sua mente está te sabotando com os falsos padrões que nos deparamos diariamente, por todo lado.

Não é sua vida que está ruim. Você apenas está se deixando levar por uma onda de mudanças e, o mais importante, se fazendo as perguntas erradas.

A boa notícia é que é muito fácil desconstruir sua mente dessas crenças limitantes e reprogramar para a prosperidade. Muito mesmo. Mas é preciso ter determinação para isso.

A primeira coisa é consumir menos esse conteúdo devastador e buscar mais conteúdo agregador. Ao invés de ficar horas perambulando pela internet sem nenhum rumo, desenvolva-se com vídeos, livros, conteúdo...

Passei 8 anos da minha vida morando em Niterói e trabalhando no Centro do RJ (apenas 28 km, mas de 1h30 a 2h20 de trânsito diariamente). No início sabia tudo sobre o meu time de futebol, aprendi sobre basquete e sabia bastante sobre os artistas e as novelas.

Até que comecei a ler. Rapidamente estava lendo aproximadamente 3 a 4 livros por mês nas indas e vindas. De lá pra cá minha vida mudou em todos os sentidos.

É sério, acho que já li mais de 200 livros em toda minha vida. (No meu kindle tem 88 livros. Obs.: acabei de confirmar. Ual, não tinha noção disso).

Sempre há meios de crescer e se desenvolver. Apenas tomamos decisões de como utilizar melhor nosso tempo de forma completamente irracional, ou melhor, completamente emocional. 

É questão de decisão. Por exemplo: você pode nesse momento decidir que a partir de hoje vai passar a ler um conteúdo construtivo por dia. Seja um artigo, uma matéria, um vídeo ou um blog.

Ou você pode também arrumar uma desculpa para não fazer algo em prol do seu futuro. No início de minha vida de leitor frenético, a desculpa que eu mais gostava era a "eu passo mal lendo no ônibus".

Mexa-se. A curto prazo você estará em outro patamar intelectual e emocional.

A segunda dica, essa um pouco mais difícil de realizar, mas não impossível, é você separar pessoas que você admira profissionalmente e pessoalmente e fazer uma espécie de mapa comportamental dessas pessoas. 

Como elas se vestem? Como se comportam? Que tipo de informação elas buscam?

Você precisa se espelhar em quem você admira. Faça um mapa dessas referências e tente se moldar a partir dele. 

Sua confiança em poucos dias irá lá em cima.

Terceiro: cerque-se por pessoas de mindset de crescimento, pessoas com mente próspera. Fuja das pessoas que focam na escassez. 

Você é a média das 5 pessoas que você mais convive.

E só mais uma provocação saideira: quais perguntas você deve se fazer para se mover pra frente?

- Como está sua vida agora?

- Como você deseja que esteja daqui 1, 2 ou 5 anos?

- O que você precisa fazer para chegar aos seus objetivos?

- O quanto o mundo é um lugar melhor porque você existe?

- Quantas pessoas dependem de você pleno, de cabeça erguida e sem se deixar abater?

O mundo não é nada disso que vemos por trás da tela. O mundo é aqui. Agora. 

Desenhe a sua história ao invés de querer viver uma história que não é sua.

Grande abraço e #VamosVender hein!


Leandro Figueiras

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.