Amar o que faz é sinônimo de ter bons resultados?


15 Nov
15Nov


Quem nunca ouviu um palestrante, professor, coach ou psicólogo falar que para ser feliz é preciso ser apaixonado pelo que faz, e para se sentir realizado tem que amar sua profissão?

Toda vez que o nosso cérebro se depara com alguma pergunta, de forma consciente ou não, ele te dará uma resposta.

Obviamente, no momento em que você ouve essa pergunta seu cérebro busca uma resposta sobre se você gosta ou não de seu trabalho.

Como trata-se de uma pergunta ampla e difícil de responder de forma rápida, a maioria de nós conclui precocemente que não ama o trabalho, ou seja, não é feliz.

Mesmo assim você continua ouvindo o palestrante, professor, coach seja lá o que for, que por sua vez não para de falar e piora ainda mais a situação do nosso pobre inconsciente dizendo:

“Para ter uma boa qualidade de vida e para a vida pessoal e profissional estarem em harmonia é preciso ser apaixonado em ir trabalhar todos os dias”.

Aí lascou!

Será que isso tudo realmente faz sentido?

Será que somos obrigados a preferir uma segunda-feira de trabalho a um domingo de praia, caso contrário não gostamos da nossa profissão?

Se isso realmente estiver certo preciso mudar de profissão e me tornar salva-vidas :) 

Ok! Esquecemos a praia e vamos falar de gostar do que faz.

Os sujeitos de maior sucesso, seja nos negócios, esportes, artes, aparentam sempre muita paixão pelas suas atividades.

Nunca sonhei em ser empresário, palestrante, Coach, vendedor, seja lá o que eu posso falar que sou. Na verdade longe disso.

Meu sonho era ser arquiteto, profissão que admiro muito até os dias de hoje. Passei em engenharia na UFF e desisti na metade do caminho, quando a dificuldade e a ausência de prazer me expulsaram de lá.

Pra felicidade da minha mãe (rsrs) virei vendedor, profissão essa que me trouxe até aqui. 

Financeiramente estou melhor do que muitos arquitetos e engenheiros e, ACREDITO que amo o que faço (depois explico o porquê do acredito).

Mas pensa comigo: como, aos 18, 20, 30 anos saberemos exatamente pelo que seremos apaixonados na prática?

Como saber se sou apaixonado em ser médico sem nunca ter vivido os intermináveis plantões com todos os desafios enfrentados por um médico? Sem nunca ter sentido na pele e posto na balança da vida de um lado o que é ser médico e do outro as recompensas emocionais de ser médico.

Emocionalmente falando, quais são as conquistas de um advogado, de um engenheiro, de um artista? (Leia três vezes essa pergunta e reflita).

Como saber o que me faria mais e mais apaixonado?

Por isso ACREDITO que sou muito feliz no que faço, até que eu tenha parâmetros melhores pra comparação.

O que mais vejo por aí são jovens estudantes apaixonados e cheios de planos, e ao mesmo tempo vejo também ex-jovens estudantes apaixonados e cheios de planos, já adultos, insatisfeitos com suas carreiras, com seus salários, cargos... Insatisfeitos com suas vidas. Por quê?

Infelizmente a vida não dá pausas para refletirmos sobre o que queremos, o que estamos fazendo, para onde estamos indo. Muitos na fase adulta nem lembram mais pelo que eram apaixonados e sonhavam. Você lembra?

Já vi gente respondendo que ter sucesso é ganhar muito dinheiro.

Ter sucesso é ter tempo pra família.

Ter sucesso é trabalhar numa empresa bacana, com bom salário e com bom clima organizacional.

Que sucesso é a tal da segurança, da estabilidade.

Acho que tudo isso são importantes peças de um quebra cabeça, mas defendo com todos os dentes e afirmo:

Você, eu, ou qualquer outra pessoa pode montar esse quebra cabeça com louvor, independente se somos o bombeiro, o engenheiro, arquiteto ou o médico que sonhamos ser quando adolescentes apaixonados.

Todos podem ser apaixonados pelo que faz, e muito.


Imagina se Silvio Santos desiste ainda quando camelô ou aceitasse sua condição de vida, ele seria bom no que faz e consequentemente apaixonado pela profissão?

Pensa comigo rapidamente: quando você ainda estava na escola, lá pelos seus 15 anos de idade, qual a matéria que você mais gostava? Português, matemática, biologia, história...?

Pensou? Agora responda também em qual matéria você tinha as melhores notas?

Em todas as palestras e treinamentos que ministro e faço essa pergunta, mais de 90% das pessoas possuíam as melhores notas nas matérias que mais gostavam.

Coincidência? Não!

Somos bem-sucedidos em matemática porque gostamos mais de matemática ou gostamos mais de matemática porque somos bem-sucedidos?

Conseguiu acompanhar o raciocínio? Você ama o que faz porque possui bons resultados ou possui bons resultados porque ama o que faz?

Então, por que não seguir essa fórmula que funciona e muito bem? Seja bom no que você faz e seja apaixonado pela sua profissão.

- Se você é arquiteto dedique-se para ser o melhor arquiteto possível.

- Se você é dentista dedique-se para ser o melhor dentista possível.

- Se você é vendedor dedique-se para ser o melhor vendedor possível.

O segredo é praticar, treinar, treinar, estudar, praticar, estudar, ler livros, assistir vídeos, estudar, praticar, treinar, treinar, estudar, praticar, ler livros.....

Busque ser melhor a cada dia. Não se entregue por resultados ruins. Não aceite a mediocridade. Se realmente você precisa gostar do que faz para ser feliz, não ponha em risco sua felicidade. 

Torne-se o melhor. Ponto.

Grande abraço e #VamosVender hein.


Leandro Figueiras


Comentários
* O e-mail não será publicado no site.